quarta-feira, janeiro 02, 2008

A tradicional Mensagem de Ano Novo do PR


“A Oeste nada de novo”

O Presidente da República depois de deixar no ar a sua implícita concordância com a governação Sócrates, criticava o sistema remuneratório injusto dos "altos dirigentes de empresas", (essa excelsa casta de gestores) que, na sua opinião, auferem rendimentos "injustificados e desproporcionados" face aos salários médios dos seus trabalhadores, acentuando as desigualdades sociais, a que adicionaria ainda as habituais dificuldades dos portugueses em acessar aos cuidados de saúde.

No entanto, Cavaco Silva reconheceria uma melhoria do crescimento da economia e progressos no controlo das finanças públicas.

Ainda relativamente à Economia apelava a mais e melhor investimento, que deverá ser "aplicado com verdadeiro sentido estratégico e gerido com eficácia e transparência."

Na Educação referia que é preciso "melhorar o clima de confiança entre todos os intervenientes no processo educativo".

Apesar de alguns progressos legislativos considerava que o funcionamento da Justiça continua a ser, ainda, "um obstáculo ao progresso económico e social do País".

Destacava ainda a excelência da presidência portuguesa referindo que: "Portugal saiu prestigiado do exercício da presidência."

No final chamava a atenção dos portugueses para a realidade de dois "problemas graves": a baixíssima taxa de natalidade e a sinistralidade.

Portanto, a Oeste nada de novo.




0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home