quarta-feira, outubro 10, 2007

Clique na laranjinha e tenha um momento de boa disposição

Por uma vez na vida tirei o chapéu a uma atitude de Santana Lopes, mas foi “sol de pouca dura”.…

Embora não seja, o Dr. Santana Lopes, uma pessoa que eu admire, neste caso, em particular, tenho de lhe tirar o chapéu. Os meus parabéns pela atitude. Ora aqui está um exemplo que deveria ser adoptado pelas pessoas de bem. As televisões, além da enfadonha publicidade limitam-se a manipular a opinião pública, nada mais. Um telejornal ou uma entrevista hoje não é mais do que propaganda. Vindo da SIC/TVI então nem se fala. Alguma comunicação social em Portugal cada vez está mais degradante e a SIC definitivamente não respeita ninguém; daí eu tirar o meu chapéu a Santana Lopes, mas foi “sol de pouca dura”, uma vez que, já relativamente às directas do PSD, no passado dia 26, quando estava convencido de que Marques Mendes iria ganhar as eleições internas, disparava este mimo:

«É um princípio básico, numas eleições, em democracia, saber-se, no momento em que se convocam formalmente eleições, quem são, ou quem podem ser, os eleitores. Desde o início que este processo está inquinado, pois tudo ficou muito impreciso, em questões que são fundamentais, porque têm a ver com regras eleitorais. Isto de se estar a dois dias das directas, sem a certeza de quem vota, seja nos Açores, seja no Continente - julgo que agora não há questões na Madeira -, é absolutamente intolerável.»

Já no dia 29, já depois de saber que Menezes tinha ganho:

«A eleição de Luís Filipe Menezes para a liderança do PPD/PSD, constitui uma vitória com grande significado político. Por quem ganha e, também, por quem perde.

(...) Por mim, que fui, com honra, quem primeiro defendeu - com Rui Gomes da Silva - este método de eleição, não concebo que se queira voltar atrás. Sempre preferi que a votação directa do novo líder fosse feita no sábado do fim-de-semana do Congresso. Mas essa é uma questão de organização, não é a questão de fundo e essa ficou resolvida com a força da participação dos militantes e com a escolha que fizeram. "As bases", que Francisco Sá Carneiro, desde sempre considerou A GRANDE RESERVA e O GRANDE PATRIMÓNIO do PPD/PSD, mais uma vez, disseram o que entenderam ser justo.»

Que lata!... É escusado, Santana Lopes não consegue resistir à tentação de cair no seu habitual populismo bacoco ao qual adiciona descarada desonestidade intelectual.

É por estas e por outras que nunca mais usarei chapéu!...





0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home