sexta-feira, outubro 12, 2007

O RESSUSCITAR DUM FANTASMA ADORMECIDO


A acreditar na versão dos dirigentes sindicais, a acção desenvolvida pela polícia na Covilhã junto do SPRC, é uma intrusão inconcebível num regime democrático e um "ataque" inqualificável à liberdade e à Democracia.

De quem que emanou a ordem para um acto tão estúpido? A Governadora Civil? O chefe da esquadra lá do bairro?

Serão os 2 guardas "à civil" apenas ingénuos bodes expiatórios desta trapalhada? Ou foi mesmo a estupidez dos agentes? Quem afinal encomendou o serviço sujo?

A intrusão dos polícias à paisana na sede de um sindicato, quer tenham agido por sus própria iniciativa, quer tenham obedecido a ordens superiores, ressuscita na nossa memória colectiva os fantasmas do fascismo. A ser verdade é lamentável que isto esteja a acontecer sob a égide de um governo do Partido Socialista

Se houve mesmo abuso policial o governo deve assumir as consequências e proceder à demissão de todos os responsáveis envolvidos. Mas se estivermos perante um gesto oportunista, também espero que os que se apressaram a fazer o aproveitamento político assumam as responsabilidades. Abuso do poder ou cilada, a democracia é demasiado valiosa para não ser respeitada por quem governa ou para ser gozada por quem sonha com o seu derrube.

A Liberdade e a Democracia exigem uma resposta esclarecedora e objectiva, e não uma tese palavrosa vazia de conteúdo. Impõe-se, por isso, um rigoroso inquérito, que apure toda a verdade, sem apelo nem agravo e com todas as consequências que daí advenham.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home