terça-feira, fevereiro 16, 2010

A falta de liberdade de expressão de alguns (poucos) jornalistas


Quem mais fala de falta de liberdade de expressão é quem está a toda a hora, com infindável tempo de antena, a encher a boca com a suposta falta liberdade de expressão!...
Os alguns senhores jornalistas referem a cada momento que não há liberdade de expressão, quando são eles próprios que não se coíbem de, inconsequentemente, dizer tudo o que lhes vem à cabeça, sobre tudo e sobre todos, (excepto dos próprios jornalistas, é claro) num regime de total impunidade.
Dizem dos juízes, dizem dos políticos, como de quase todos os portugueses, desde que esses portugueses não sejam jornalistas e, como é lógico, dos donos dos jornais onde escrevem… Uns são corruptos, outros mentirosos, outros ainda ladrões e outros tantos aldrabões. Nada lhes acontece e não há liberdade de expressão!...
Dos que não são jornalistas, dizem, que não cumprem com a lei, enquanto, eles, os honestos jornalistas logo procuram defender-se, corporativamente, quando publicam "notícias" que estão em segredo de justiça, mas quando lhes é aplicada, judicialmente, alguma providência cautelar, e eles próprios sabem que é ilegal, (pois não há liberdade de expressão).
Dizem que os outros, não jornalistas, ganham mundos e fundos, que é imoral, ilegal, eu sei lá, e deles, dos jornalistas, (que não há liberdade de expressão). O mal de inveja é tão feio!... Quando Manuela Ferreira Leite diz que é preciso suspender a democracia por seis meses, eles, os impolutos jornalistas, já não acham que aqui existe matéria de subversão do regime (e que mesmo assim haveria liberdade de expressão).
Há quem invente escutas no Palácio de Belém, e também aqui eles, os jornalistas, acham tudo normal, que não há tentativa de nada, que é tudo inocente (e que apesar disso há liberdade de expressão).
Pois é, os senhores jornalistas que escrevem o que querem, acusam quem querem, sem qualquer independência ou critério, ainda se queixam que não há liberdade de expressão, eles próprios não admitem justas críticas Para os senhores jornalistas, e alguns políticos oportunistas, a liberdade de expressão só existe quando a vida intima dos outros é alvo de devassa, jamais a deles.
Para estes senhores, a liberdade de expressão só passará a existir quando todos, menos eles, é claro, passarem a ter um julgamento popular, sem qualquer direito à justiça, ao contraditório ou ao desmentido. Se tivéssemos dúvidas do que na realidade se passa com a raiva direccionada e desmedida do jornalismo em Portugal, bastaria ver as ditas "entrevistas" feitas pelas jornalistas Judite de Sousa (RTP) e Clara de Sousa (SIC), ao senhor Presidente do Supremo, para constatarmos que eles não pretendem entrevistar, mas sim fazer julgamentos em praça pública, ao estilo da sua colega Moura Guedes, que está de baixa médica, mas que anda por aí a pavonear a sua liberdade de expressão, neste país sem liberdade de expressão. (alguns de nós gostaríamos de ter uma “converseta” com o médico que passou a baixa a esta “jornalista”).
Senhores jornalistas, sem ética, o que se passa, afinal, com alguns elementos da vossa classe? O tal jornalismo a que se prestam é miserável e envergonha a vossa classe. Façam jornalismo sério e deixem-se de andar a fazer fretes encomendados e a espreitar pelo "buraco das fechaduras". Já é tempo de acabarem com a intoxicação jornalística ao serviço de interesses inconfessados que resolveram fazer de nós, portugueses, umas vezes parvos outras vezes trouxas…
Acreditem que os portugueses não são parvos e muito menos trouxas…


0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home