domingo, fevereiro 18, 2007

As trapalhadas do PSD na CML de Lisboa

(As eleições intercalares são inevitáveis)

Em conferência de imprensa na quinta-feira à noite, o vice-presidente disse estar de "consciência tranquila" e anunciou que irá manter-se em funções, uma decisão que afirmou ser "pessoal".

Na sequência desta conferência de imprensa, o presidente, assegurou que a direcção nacional do PSD apoiou "inteiramente" a decisão do vice-presidente de se manter em funções, apesar da acusação de peculato pelo pagamento de prémios a administradores da EPUL.

No dia seguinte, sexta-feira, o PSD retirou a confiança política ao vice-presidente. Carmona Rodrigues tinha estado grande parte da tarde reunido com a direcção nacional do PSD para analisar a crise...

No folhetim seguinte o vice-presidente da Câmara de Lisboa, Fontão de Carvalho, foi obrigado a suspender o mandato por três meses, depois de a direcção do PSD lhe ter retirado a confiança política.

Depois disto o Presidente Carmona Rodrigues viu-se obrigado a recuar, por pressão de Marques Mendes* e de Paula Teixeira da Cruz, depois de, ao fim da manhã, ter manifestado confiança política a Fontão de Carvalho, defendendo a posição inicial do vereador de se manter no posto.

Já Zézinha, a tiazoca da coligação, “topou a coisa” em antecipação e “bazou” batendo com o “Portas” atempadamente... É o CDS no seu melhor safam-se sempre porque têm um incomparável sentido de oportunidade!

Depois de tudo isto dá até pena assistir a este folhetim, pois o Prof. Carmona parece ser até uma pessoa honesta, mas parece também estar muito mal acompanhado, et pour cause, não tem condições de continuar pelo que parecem ser inevitáveis eleições intercalares. C´est la vie

* por falar nisso onde está o Wally?

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home