quarta-feira, janeiro 31, 2007

Caminhada para o Desastre Planetário


Inquietação Ambiental

(ou a indiferença de quem mais polui)

Como se recordam, os Estados Unidos da América – os maiores poluidores do planeta - negaram-se a ratificar o Protocolo de Kyoto, de acordo com a alegação do presidente George W. Bush de que os compromissos acarretados pelo mesmo interfeririam negativamente na economia norte-americana. Enfim…

Protocolo de Kioto foi um instrumento para implementar a Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, cujo objectivo era que os países industrializados reduzissem no período entre 2008-2012 as emissões de gases que causam o efeito estufa em aproximadamente 5% abaixo dos níveis registados em 1990.

Nesta sequência o jornal australiano “The Age” refere que teve acesso a alguns dos dados, sobre o texto preliminar do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas só deverá ser divulgado em Abril,

Entre as muitas inquietações, o estudo revela um aumento médio da temperatura no planeta previsto para 2 a 3 graus Celsius levará a que entre 200 a 600 milhões de pessoas sejam afectadas pela fome em 2080, enquanto a falta de água afectará de 1,1 a 3,2 mil milhões, revela um novo estudo sobre as alterações do clima.

O documento adianta, ainda, que a escassez de água afectará sobretudo a China, Austrália e partes da Europa e Estados Unidos, enquanto que inundações litorais podem submergir cerca de 7 milhões de casas.

O Painel Intergovernamental foi criado em 1988 pela Organização Meteorológica Mundial e pelo Programa Ambiental da ONU para orientar as políticas globais sobre o aquecimento global.

O grupo deve divulgar sexta-feira em Paris um relatório prevendo que até 2100 a temperatura média do mundo estará entre 2 a 4,5 graus centígrados acima dos níveis pré-industriais, sendo que a estimativa mais provável é de 3 graus.

Este relatório deve resumir a base científica das alterações climáticas, enquanto o texto de Abril enumerará os pormenores das consequências do aquecimento e as opções para que seja possível adaptar-se-lhe.

O relatório preliminar contém um capítulo inteiro sobre a Austrália, que vive actualmente a pior seca da sua história, alertando que a Grande Barreira de Recifes se tornará «funcionalmente extinta» devido à destruição dos corais.

Além disso, a neve deve desaparecer das montanhas no sudeste do país, enquanto o fluxo de água na bacia do rio Murray-Darling, principal área agrícola australiana, deve cair de 10 a 25% até 2050.

Na Europa, os glaciares deverão desaparecer dos Alpes centrais, enquanto algumas ilhas do Pacífico devem ser gravemente atingidas pela elevação dos mares e intensificação da frequência das tempestades tropicais.

in jornal digital (adaptado)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home