sábado, setembro 12, 2009

Jorge de Senna
(1919-1978)

Jorge de Senna, foi forçado a exilar-se para o Brasil na sequência de uma tentativa falhada para derrubar a ditadura salazarista.

Mais tade, 1965 emigrou para os EUA tendo exercido funções docentes até ao final dos anos 70 em Santa Bárbara, na Universidade de Califórnia, onde prossegue com uma intensa produção literária. “Metamorfoses", "Evidências", "Fidelidades", entre outros, são exemplo das sua vasta obra.
Jorge de Senna foi uma figura incontornável das nossas letras. Faleceu em 1978, desejoso de regressar à Pátria, o que, finalmente, agora acontece.



“Esta é a ditosa pátria minha amada. Não.
Nem é ditosa, porque o não merece.
Nem minha amada, porque é só madrasta.
Nem pátria minha, porque eu não mereço
A pouca sorte de nascido nela”.

Jorge de Senna


0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home