sábado, março 07, 2009

Cantas bem mas não me Alegras

Se Alegre está convencido de que é um político importante para o país e, nomeadamente para o Partido Socialista, porque razão não se deslocou ao congresso e apresentou uma moção própria ao partido?

Que o saibamos, até agora, não mostrou à sociedade ou aos políticos deste país o "enorme" apoio que as suas ideias, teorias, ou projecto político, ou outra coisa, qualquer que seja, têm no espectro politico ou tão-somente no partido!...

Há pessoas que, de tanto viverem na clandestinidade, nunca aprenderam realmente a debater as coisas na legalidade, frontalmente, nos lugares próprios. Enfim é vida!.. À falta de clandestinidade acredito que faça agora coro com uma certa oposição "à la gauche" que nunca deu um verdadeiro contributo ao país real, onde as coisas realmente acontecem e não na ficção dos eternos teóricos que passam a vida a alimentar o próprio ego. Cuidado para que nunca se finem por alguma má digestão política.

Custa-me dizê-lo mas é minha convicção que Alegre está sozinho no partido e pior!... Está sem saber o que fazer com aquele milhão de descontentes que na altura votou nele. Como está também inseguro de si próprio não apareceu no congresso não se sabendo se foi por medo ou se foi só mesmo cobardia. A direita bate palmas às críticas deste Alegre político, (que parece alegrar ninguém) porque, incrivelmente, não tem a quem as bater no próprio partido.

O Bloco de Esquerda, esse, espera matreiro o resultado desta cena, uma oportunidade para crescer com os votos descontentes e chegar finalmente aos dois dígitos...

Apostilha:Para desmistificar, de uma vez por todas, o projecto do Bloco à lá gauche gostava, muito sinceramente, de contemplar o resultados da governação daquele partido durante um ano para que, de uma vez por todas, caísse o mito...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home