quinta-feira, maio 28, 2009


Aprendiz... à posteriori
.
Paulo Rangel, considerava ontem que: "ter-se-ia ganho se Dias Loureiro tivesse renunciado mais cedo ao cargo de conselheiro de Estado”.
Se já pensava desse modo porque razão, o grande líder “paralamentar”, não o defendeu antes?
Pronunciar-se só depois do homem forte do BPN ter renunciado ao cargo, o jovem candidato do PSD, ao Parlamento Europeu, mais lhe valera ter ficado calado. Deste modo revelou publicamente a sua cobardia política limitando-se, perante o facto consumado, a ser, apenas, oportunista.
Dando a sua opinião apenas à posteriori, não teve em conta de que em política uma opinião só é válida e pertinente se, atempadamente, for tornada pública.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home